Normandia

Estátua em homenagem a queijeira Marie Harel, criadora do Camembert.
A estátua está sem a cabeça desde a segunda grande guerra. 

 

 

 As minhas viagens hoje são todas em função do queijo. Mesmo quando estou em viagem de férias procuro passar em alguma região que tenha algo relacionado com um grande queijo. Mas poucas regiões me impressionam tanto como a Normandia, no noroeste da França. Conhecida mundialmente pela qualidade dos seus produtos lácteos, a Normandia possui um solo escuro, rico em sódio, conhecido na área como "prés-salé", algo como campos salgados, que proporcionam pastos viçosos e suculentos. O gado que se alimenta nessas pastagens oferece não somente um leite extraordinário, como também uma carne que é considerada uma das melhores da Europa.

 

A Normandia é formada por cinco departamentos: Orne, Manche, Calvados, Seine-Maritime e Eure. Outro produto que ajuda a fazer a fama da Normandia é a maçã, que é cultivada principalmente no departamento de Calvados. Da maçã resultam a Cidra, que é um espumante, e o Calvados, uma aguardente destilada.

 

O povo da região prefere degustar os seus queijos acompanhados da Cidra ou do Calvados, ao invés de vinhos. Eu provei e aprovei essas combinações, mas advirto que raramente elas funcionam fora da Normandia. A mesma qualidade do solo, que beneficia o gado e o leite, também é propícia para a produção de um trigo de grão duro, utilizado na fabricação do famoso pão local, este sim, um companheiro perfeito para os queijos da região. A culinária normanda também merece destaque, com pratos marcantes e muito saborosos, como "Las Truites Normandes", "Escalopes ou Poulet Vallée d'Auge", "Tripes a La Mode de Caen", "Lapin a la Normande", todos acompanhados da famosa "Tarte aux Pommes Flambées au Calvados", uma delícia!

 OS QUEIJOS DA NORMANDIA

 

O trio de ferro dos queijos normandos. No sentido do relógio: Camembert, Livarot e Pont-L'Êveque.

Um pequeno sacrifício após as refeições!

Seis são os queijos que fazem a glória da Normandia, três deles são simplesmente soberbos: o Camembert, o Livarot e o Pont-l'Êveque, os outros três são o Neufchâtel, o Brillat-Savarin e o Petit-Suisse.

 


Camembert: queijo mais consumido na França, mas o verdadeiro Camembert da Normandia, produzido com leite cru das vacas normandas é um queijo para venerar.

Livarot: com cinco faixas de palha que envolvem a fôrma, é um queijo forte e suculento, cuja massa fermentada lembra o sabor de nozes.
Pont-l'Êveque: com seu conjunto de corpo e aroma único, apresenta sabor suave, porém com personalidade.


Neufchâtel: queijo com sabor predominantemente láctico, que vai se pronunciando com o tempo. Pode ser encontrado em formato de coração, quadrado ou cilíndrico. Sua história data de 1035 DC.

 

Brillat-Savarin: queijo que foi desenvolvido por volta dos anos 30, do século passado, por Henry Androuet, pai do famoso Pierre Androuet, considerado a maior autoridade em queijos do mundo, para homenagear o primeiro gastrônomo escritor, Brillat-Savarin, que entre outras obras, deixou-nos o imperdível "A Fisiologia do Gosto" (La Physiologie du Goût). Trata-se de um queijo com 75% de creme, portanto é a cara da Normandia.

 

Petit-Suisse: criado por um suíço de pequena estatura, é um queijo em extinção, em função da degeneração que grandes empresas causaram ao queijo orginal, que era um queijo fresco, triplo creme, com sabor adocicado, em função do alto teor de gordura.

 

 TURISMO

 

 

Aproveite a visita à Normandia para conhecer também as cidades de Caen, Le Havre e Rouen. Para as "balades" sugiro os parques naturais "Regional des Boucles de la Seine Normande" e o "Regional du Perché".

Para maiores informações sobre turismo na Normandia, visite o site:www.normandy-tourism.org/fr/02ville/indexv.html

 

 

 

Região Centro e Vale do Loire

O Vale do Rio Loire é uma região muito visitada, tanto por franceses como por turistas do mundo todo. Suas principais atrações são os famosos castelos e as cidades medievais de Orléans, Blois, Tours e Bourges, todas impregnadas de história e cultura. 

 

 

Sancerre é conhecida pelos seus consagrados vinhedos e também faz parte da região que é conhecida pelos franceses como "Le Jardin de la France". A maioria dos queijos da região Centro e do Vale do Loire são produzidos com leite de cabras. A região do Berry, grande área ao sul do rio Loire, que compreende a maior parte dos departamentos de Indre e Cheré é conhecida pelos queijos de cabra mais renomados da França. Centenas de pequenos produtores de leite cuidam de rebanhos pequenos, a ponto de conhecerem pelo nome cada uma das suas cabras. Essas cabras, em sua maioria, são da raça Alpine, adaptada à região há séculos. Os pastos próximos aos rios são ricos e verdejantes e, na maior parte do ano, as cabras pastam em solos privilegiados e o resultado é um leite aromático, com alto teor de matérias secas. Os queijos produzidos com essa matéria-prima desenvolvem uma flora natural de coloração bege, com pontos azulados, que confere ao queijo as características únicas daquele "terroir".

 

 OS QUEIJOS DO VALE DO LOIRE

 Há mais de 30 tipos de queijos produzidos no "Jardim da França" e com exceção do Bondaroy, que é feito com leite de vaca, todos os demais são obtidos a partir do excelente leite de cabra que abunda no local. Os mais famosos são o Valençay, o Crottin de Chavignol, o Sainte-Maure de Touraine, o Pouligny-Saint-Pierre e o Selles-sur-Cher. O Selles-sur-Cher, geralmente, é revestido com cinzas, para forçar a secagem da massa externa. Esse processo resulta em um contraste interessante entre a massa interna branca com a massa acinzentada do exterior. Embora consistente ao toque, o Selles-sur-Cher derrete-se na boca e um vibrante sabor de ervas percorre todas as papilas, até culminar num retrogosto caprino e fresco.

O Valençay e o Sainte-Maure são, via de regra, recobertos com uma flora natural do leite, a princípio bege ou marfim e que vai se tornando cinza-azulada com o tempo. Essa flora, que é degustada junto com o queijo, provoca a fermentação da massa, que vai se tornando pastosa com o tempo.

 

O Crottin é o mais popular dos queijos do Loire. Largamente encontrado em toda a região, o Crottin acompanha bem os vinhos brancos dourados de Sancerre.

                                 

Em visita à fábrica de P. Jacquin, em La Vernelle,                                                   Valençay fermier pronto para o mercado

conferindo um lote de Selles-Sur-Cher 

 TURISMO

Quando em visita pelo Vale do Loire, não deixe de incluir alguns castelos no seu roteiro. Dois dos "Châteaux" imperdíveis são o Château de Valençay e o Château Royal, de Blois. Evite as auto-estradas.

Saindo de Paris, deixe a A-10 em Orléans e vá margeando o Loire pela estrada departamental no sentido de Blois e Tours. Aproveite para conhecer as três cidades, com especial atenção para Tours. Na culinária, o forte da região são as caças, as aves e os peixes pescados nos rios da região. As Lentilhas Verdes do Berry, consideradas as melhores do mundo, são a base de vários pratos regionais.

 

 

Para as "balades", as melhores pedidas são o Parc Naturel Régional Loire-Anjou-Touraine e a Floresta de Orléans.

                             

                    Orléans                                                 Tours                                  Château de Valençay